Matérias Especiais Polaris

Dia da Independência

No post de hoje falaremos sobre o dia da Independência e sobre a negligência do Estado com o nosso patrimônio histórico

No post de hoje falaremos sobre o dia da Independência e sobre a negligência do Estado com o nosso patrimônio histórico.

Dia 07 de setembro de 1822, foi proclamado a independência do Brasil por Dom Pedro I. O que muitos não sabem, é que o Brasil antes de 1822, já estava em um lento processo por sua independência e uma prova disso, foi quando Dom João VI declarou o Brasil não mais como colônia de Portugal e sim um Reino Unido com a Metrópole. A partir daí, foram ocorrendo os fatos, para que em 7 de setembro de 1822, o Príncipe Regente (Dom Pedro I), declarasse independência para o Brasil.

O que muitos acham, mas é mentira, é que a partir de sua declaração, o Brasil se tornou independente e não prestou mais contas para Portugal. Pelo contrário, houve uma guerra civil, isolada em alguns estados como BA e PA, que durou dois anos, para que Portugal aceitasse Brasil como independente.

Séculos depois da colonização, e da proclamação de nossa independência, além dos males da escravidão e da colonização, e da forma que o país foi construído; esse tempo não tão distante deixou patrimônios que hoje são essenciais para contarmos a história de nosso país, como por exemplo o Museu Nacional de História do RJ, que sofreu um incêndio neste domingo (dia 02/08).

Este incêndio, que de tragédia leva apenas o nome, vem das consequências de uma atitude governamental antiga e já conhecida como método de manipulação do povo: A Manutenção da ignorância.

Manter o povo longe do acesso ao conhecimento e dificultar esse acesso como método de seleção que favorece apenas aos mais ricos é uma grande fonte de poder para aqueles que desejam se manter na liderança.

Quanto mais distantes estamos de conhecer a realidade mais fácil é de alguém nos dizer como ela é.

O incêndio criminoso destruiu milhões de anos de história e centenas de anos de pesquisa e estudo que favorecia diversas áreas do conhecimento.

“Para saber aonde vamos, primeiro  devemos saber de onde viemos.”

O cenário político e social do País é reflexo das atitudes dos governantes do passado, e estes, querem apenas contar com a memória curta do povo e que este povo mantenha-se longe de livros e quaisquer outros meios que os levem a refletir.

Mais do que um museu, centro de pesquisa e dos artefatos históricos (e vitais para nossa sobrevivência) consumidos pelas chamas. Ali queimou parte da nossa história e consequentemente do nosso futuro. Futuro esse que já era incerto e agora é quase uma utopia.

Por tanto, quando levamos tudo isso em conta, nos deparamos com a seguinte questão: Estaremos algum dia livre e realmente independente como diz a constituição? Essa é uma pergunta que infelizmente não temos a resposta, mas podemos afirmar, que a perda desse museu (e tantos outros) importante não só para história brasileira, mas também mundial, é a indicação de que aos poucos estamos esquecendo de onde viemos e para onde vamos, assim matando pouco a pouco nosso maior patrimônio, a história e cultura de uma nação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s